2010-08-09

Itoigawa I



Este itoigawa está comigo desde Outubro de 2008. No início, em Novembro de 2008, o seu aspecto era este:


Depois da primeira intervenção:



Em Junho de 2009 o Rui Fernandes e eu pudémos contar com a ajuda do Mário Eusébio, que nos visitou na Madeira. O Mário deitou as mãos a este junípero e o resultado foi... muito bom.  :D A frente preferida do Mário:

A minha frente:




Entretanto todos os arames foram removidos, estavam a marcar, e transplantei para um vaso de bonsai. Cultivei-o em kiryu puro no ano anterior porque a árvore trazia alguma "papa de akadama" e não quis correr riscos. As raízes cresceram imenso e decidi continuar a cultivar com kiryu puro...












No início de Fevereiro de 2009 chegou um "carregamento" de arame de cobre chegou e eu deitei logo as mãos a este junípero. Havia qualquer coisa que me dizia que o ramo da esquerda não devia ser removido. Segui o instinto, mantive o ramo mas retirei o da direita. A árvore foi comprimida através de dois tensores. A altura actual é de 23cm  (antes era cerca de 28cm). O resultado foi este:


A tempestade de 20 de Fevereiro de 2010 forçou um restyling a este junípero. A planta levou com um enorme pedaço de betão em cima, talvez com 100kg, que caiu de uma altura de 5m directamente em cima do topo. Pensei que a árvore fosse morrer, mas não... perdeu "apenas" o topo e 3 ramos e puxou crescimento novo com grande vigor.

O estado actual é este, já depois de uma aramagem apenas para posicionar de forma grosseira os ramos, falta ainda aramagem de detalhe mas ainda é cedo demais para isso. Os ramos da direita precisam de ser baixados mais um pouco, acho eu.




Entretanto estive a pensar no problema da reconstrução do topo e hoje cheguei à conclusão de que era necessário recorrer a enxertos. Avancei com o enxerto do rebento mais vigoroso que a árvore tinha, crescia na extremidade do sashi-eda. Em breve publicarei fotos com a actualização.

Nunca tinha realizado nenhum enxerto com esta técnica, mas quando estive em Taisho-en vi muitos e pedi a Oyakata que me explicasse como eram feitos. Pus em prática o que aprendi (por acaso a técnica está muito bem documentada no livro Bonsai Masters' Series - Junipers) e agora é esperar. Se correr mal o plano B é enxertar por aproximação na próxima época um ramo que está próximo. Quis ganhar experiência com a técnica que nunca tinha experimentado.

5 comentários:

Gustavo Pessoa Duarte disse...

Olá Pedro,

Conheci hoje este teu espaço. Quero-te dar os parabéns, gostei bastante.

Quanto ao Juníperus, eu se o tivesse, reconsiderava o crescimento durante uma época. Com a massa verde que está à direita, tendo em consideração a última imagem, penso que seria possível refazer um topo. No entanto se é um treino da técnica de enxerto, tens aqui deste lado alguém muito curioso para saber como é feita.

Boa continuação,

Gustavo

P.S.: Espero que não leves a mal, mas adicionei-te à minha lista de blogrolls.

Pedro G C Almeida disse...

Olá Gustavo!

Bem-vindo, obrigado pelo simpático comentário - é uma estreia. :)

A tua sugestão para o junípero seria bastante boa, mas a foto é bastante enganadora. A massa verde que está à direita está muito longe do tronco. Claro que posso sempre fazer umas dobras malucas, mas não gosto muito dessa abordagem (mesmo que não sejam visíveis, eu sei que lá estão). Vamos ver como a coisa evolui, até posso mudar de ideias, mas para já vou optar pela via dos enxertos. Não demora muito e é boa para a minha técnica... e posso deixar crescer livremente o verde à direita do topo para um plano C. :)

Vou criar em breve uma nova mensagem com alguns detalhes sobre o enxerto. Verás que não é nada de especial. Vou também tirar mais algumas fotos para que se perceba melhor o que se passa na árvore.

Quanto a me teres adicionado à tua lista de blogs, é uma honra! Eu tomei a liberdade de fazer isso com o teu "chinelo" quando dei vida nova a este blog (e não te disse nada, desculpa lá o abuso).

Vamos falando por aí. :)

Abraço,
Pedro

Gustavo Pessoa Duarte disse...

Sem problemas com o chinelo...

Abraço,

Gustavo

Rodrigo Sousa disse...

Viva Pedro.
Belas reportagens.
Pessoalmente,gosto bastante de ler as tuas opções e os porquês das mesmas e explicações.
Parabéns e que arranjes tempo para bastantes publicações interessantes como estas que só hoje "descobri".

Os Juniperos fazem realmente Shoins maravilhosos gostei bastante do desenho deste teu projeto.

Adorei o "post" com as magnificas arvores(e fotos) de inspirações da Natureza.
Tens uma foto de uma arvore magnifica que já tinha visto fotografada por varias pessoas que gostam das formas das arvores,e que um dia destes tenho que ver ao vivo (inveja).

Um abraço para o Arquipélago da Madeira e para ti claro.

Pedro G C Almeida disse...

Olá Rodrigo!

Bem-vindo, obrigado pela visita e pelos comentários.

O enxerto que fiz no junípero acabou por secar, mas já fiz outros dois por aproximação para tentar reconstruir o topo. Logo que tenha tempo (está difícil) para tirar umas fotografias e escrever algo decente sobre isso publicarei aqui no blog.

Se vieres à Madeira apita. ;)

Um abraço,
Pedro