2010-12-16

Evolução de um Juniperus chinensis "itoigawa"

A árvore como me chegou às mãos, antes de qualquer trabalho:


Após o primeiro trabalho:


Decidi fazer um transplante sem corte de raízes por esta altura para substituir o substrato por kiryu puro. A akadama estava a degradar-se rapidamente devido às chuvas intensas que temos tido na Madeira e não quis arriscar. Quando transplantei apercebi-me de que a árvore caberia num vaso muito mais pequeno. Mudei para um pequeno Tokoname que tinha, mudei o ângulo, comprimi um pouco mais e eliminei ramos desnecessários. O resultado para já é este:


Hoje apercebi-me de duas fissuras que surgiram no tronco devido à compressão adicional... pelos vistos eu devia ter esperado mais algum tempo (surgiram no mesmo local onde tinha aparecido a primeira fissura na altura do primeiro trabalho), mas ainda assim acredito que nada de mal acontecerá, uma vez que as fissuras são longitudinais ao trajecto da veia viva. Mas sinto que estou a trabalhar a árvore no limite e conscientemente não faria isto... vamos esperar que corra tudo bem.

Nenhum comentário: